Notícia

Com investimento de R$35 milhões, Salvador ganha Hospital do Homem

Com investimento de R$35 milhões, Salvador ganha Hospital do Homem

A Prefeitura de Salvador inaugurou nesta sexta-feira (5) o Hospital Municipal do Homem (HMH), que vai oferecer serviços de alta complexidade nas áreas de cirurgia geral, cirurgia vascular, urologia, clínica médica, terapia intensiva, radiologia e radiologia intervencionista. O investimento foi de R$35 milhões, em reformas e compra de equipamentos e mobiliários. A nova unidade de saúde funcionará no antigo Hospital Sagrada Família, no Monte Serrat, sob gestão das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid). O Hospital do Homem terá 140 leitos clínicos-cirúrgicos, dos quais 20 leitos de Terapia Intensiva Adulto, e mais 10 leitos de Hospital Dia, totalizando, portanto, 150 leitos.

O prefeito Bruno Reis destacou a importância do novo hospital para atender uma grande demanda existente nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital baiana e ressaltou o avanço observado na saúde municipal nos últimos anos. “Lá atrás, a cidade não tinha condição de ter sequer um hospital. Hoje, inaugura o seu terceiro; e até o final do ano vai inaugurar o quarto. A ideia desse hospital, voltado para o homem, surgiu quando a vice-prefeita (Ana Paula Matos) disse que pacientes estavam aguardando até 60 dias nas UPAs por regulação para cirurgias vasculares, urológicas, e muitos poderiam morrer esperando”, afirmou o gestor. 

O HMH será o primeiro hospital público da Bahia e um dos primeiros do Brasil a dispor de um aparelho de laser de Alta Potência, permitindo a realização de cirurgias de próstata e cálculos renais de forma menos invasiva. A técnica traz menor risco de complicações e sangramentos e uma recuperação mais rápida para os pacientes.

O secretário municipal de Saúde, Alexandre Reis, explicou que o Hospital Municipal do Homem não será uma unidade de demanda aberta, e sim regulada. “Ou seja, os pacientes das nossas UPAs e unidades de saúde serão regulados para o atendimento aqui. O hospital foi totalmente reestruturado, não deixa nada a desejar a nenhum hospital privado do país. O laser de alta performance não existe em nenhum hospital público do estado e vai proporcionar um giro de leito muito mais rápido”, disse o secretário.

A superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce, Maria Rita Lopes Pontes, também apontou o papel fundamental do HMH para o sistema de saúde soteropolitano. “Salvador ganha muito na área de saúde com esse hospital. É um serviço muito especial para os homens, na parte de urologia, vascular, que são alguns dos problemas mais graves nas nossas UPAs. O serviço que será prestado aqui vai resolver essa demanda”, afirmou. O contrato para a gestão do Hospital do Homem é de dois anos.

Segundo o prefeito, apesar do hospital atender prioritariamente os homens, também serão realizadas cirurgias em mulheres no local. O gestor municipal antecipou ainda que, no futuro Hospital Maternidade e da Criança, com obras em andamento, haverá dois andares para cirurgias eletivas exclusivas para mulheres. A previsão de entrega da primeira maternidade municipal é até o final do ano.

Estrutura – Em 2020, a Prefeitura de Salvador requisitou administrativamente o Hospital Sagrada Família, com o objetivo de combater a pandemia da Covid-19. Ao final da requisição, o Município decidiu implantar na unidade um conjunto estruturado de assistência à saúde na atenção especializada com ênfase nas especialidades de alta Complexidade de Urologia, Vascular e Cirurgia Geral.

“Em parceria com as Obras Sociais Irmã Dulce, salvamos milhares de vidas na pandemia. Depois, aos poucos, começamos a transformá-lo em um hospital para atender essa demanda vascular. Fizemos um novo contrato e tomamos a decisão depois desse número de casos observados nas nossas UPAs”, relatou Bruno Reis.

O chefe do Executivo municipal salientou a decisão da Prefeitura em não construir o Hospital do Homem totalmente do zero, assim como foi feito no caso do Hospital Maternidade e da Criança, em fase de implantação na estrutura do antigo Hospital Salvador. “Aqui está um exemplo da nossa experiência administrativa e capacidade de gestão. Tanto aqui, como no Hospital Salvador, que nós desapropriamos, não fazia sentido construir um novo hospital. Um hospital com 150 leitos não sairia por menos de R$150 milhões; e com R$35 milhões nós adequamos. E é um hospital de primeiro mundo, dentro do padrão da Prefeitura”, destacou.

De acordo com o prefeito, o custeio mensal para o funcionamento do HMM será de R$10 milhões mensais. “Construir, adequar e equipar foi a parte mais fácil. Agora vem o desafio, que é a manutenção, o custeio. O dinheiro de quatro meses paga o hospital”, pontuou. 

O HMH dispõe de 20 leitos de Terapia Intensiva Adulto, 50 leitos para Cirurgia Vascular, 50 leitos para Urologia, 20 leitos de Cirurgia Geral, 10 leitos de Hospital Dia, agência transfusional e ambulatório com oito consultórios indiferenciados, com capacidade instalada para 3.850 consultas mensais. 

Haverá ainda dois centros cirúrgicos: um centro cirúrgico com cinco salas operatórias para as especialidades de cirurgia geral e cirurgia vascular; e o Centro Cirúrgico do Homem, com três salas operatórias e capacidade para quase 1,5 mil cirurgias urológicas por ano.

O secretário de Saúde explicou que, durante a implantação do Hospital do Homem, a ala com pacientes do antigo Sagrada Família foi preservada, para não haver descontinuidade na prestação do serviço. A demanda da nova unidade será por regulação.

Dica

Planos de saúde: uma preocupação para o futuro

Planos de saúde: uma preocupação para o futuro

Ter ou não ter plano de saúde? Esse é um questionamento que pode ser constante na vida dos brasileiros, já que nem sempre os benefícios oferecidos são efetivamente ofertados quando mais se precisa desse tipo de assistência. Para não cair em armadilha e saber diferenciar os tipos de planos, consultamos o advogado especialista em Defesa do Consumidor, Taciano Mattos (@tacianomattos), para dar algumas dicas sobre o serviço. Confira abaixo:

Artigo

Taxas bancárias e o Direito do Consumidor

Taxas bancárias e o Direito do Consumidor

Você certamente possui conta em alguma agência bancária. Certamente, também, já deve ter sido tarifado indevidamente, mesmo pensando que o serviço oferecido era gratuito, a exemplo das taxas cobradas pela poupança. Mas, não era para poupar? Pois bem, nem sempre o que está previsto nos contratos atendem às regras previstas pelo Código de Defesa do Consumidor. O advogado, especialista na área, Cândido Sá, dá suas recomendações sobre o que a lei salvaguarda ou não, quando o assunto é serviço bancário. Confira artigo sobre o assunto, logo abaixo:

Enquete

Você pretende tomar a vacina contra a covid-19?


Ver resultado

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.