Notícia

Prefeitura anuncia fim da epidemia de dengue na capital

Prefeitura anuncia fim da epidemia de dengue na capital

A Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), anunciou o fim da epidemia de dengue na cidade. De acordo com dados do novo Informe Epidemiológico Semanal, divulgado pelo Centro de Operações de Emergências de Saúde Pública para a Dengue e outras arboviroses, a queda expressiva de indicadores da doença permitiu reavaliar a classificação epidêmica decretado em fevereiro na capital baiana.

A vice-prefeita e titular da SMS, Ana Paula Matos, destaca os resultados das ações de enfrentamento à doença desencadeadas pela SMS. “O combate às arboviroses sempre foi prioridade da nossa gestão. Por isso, desde o ano passado temos investido em melhores condições de trabalho para nossos agentes de endemias e na própria estrutura e logística do Centro de Controle de Zoonoses, para que respondêssemos efetivamente em momentos críticos, como aconteceu quando entramos em epidemia. Lançamos imediatamente a Mobilização Salvador contra a Dengue e diuturnamente levamos uma série de atividades e serviços para prevenção e combate à doença por toda cidade, e o resultado já se mostrou positivo em dois meses de trabalho”, destacou. 

A Mobilização Salvador Contra a Dengue promove desde o seu lançamento, em 28 de fevereiro, ações coordenadas entre as várias secretarias municipais para conter o avanço do vírus como Limpurb, Defesa Civil (Codesal), Secretaria de Manutenção (Seman), Guarda Civil (GCM), além da parceria com as Forças Armadas (Exército, Aeronáutica e Marinha). Através dela, o CCZ intensificou suas atividades, de domingo a domingo, de inspeção de imóveis, tratamento e eliminação de focos, uso de armadilhas para monitoramento de regiões prioritárias e mutirões de limpeza; controle mecânico, químico e focal, além da abertura de imóveis fechados e ações educativas em escolas e espaços de grande concentração de pessoas. 

Dentro da Mobilização também foi realizado simulado de mesa em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) para avaliar a resposta do município a um cenário de emergência provocado pela doença.

Salvador registra hoje redução de mais de 50% no número casos confirmados de dengue em relação ao mesmo período do ano passado. Até a 18ª semana epidemiológica, de 31 de dezembro de 2023 até 4 de maio de 2024, foram 825 registros contra 1.772 no ano passado. 

“O município fez e está empenhando todos os esforços para proteger sua população. O anúncio do fim da epidemia mostra a redução considerável do número de casos e, consequentemente, reduz o risco da explosão de novos casos e colapso no sistema de saúde. Mas não significa que estamos em situação confortável e não podemos baixar a guarda. Ainda estamos em risco e, por isso, devemos continuar atentos e atuantes nas nossas tarefas diárias de combate ao mosquito: prefeitura e população, todos juntos nessa missão”, pontuou Ana Paula Matos.

Reforço na assistência – Durante a Mobilização Salvador contra a Dengue, para garantir o atendimento rápido, eficaz e qualificado da população, foram implantadas três Upinhas (Barris, Itapuã e Peripri), capacitação de unidades da atenção básica para manejo clínico da dengue, além da instalação de unidades sentinelas com atendimento aos sábados e domingos.

As denúncias e solicitações para inspeções e ações contra a dengue seguem sendo realizadas através do 156.

Dica

Planos de saúde: uma preocupação para o futuro

Planos de saúde: uma preocupação para o futuro

Ter ou não ter plano de saúde? Esse é um questionamento que pode ser constante na vida dos brasileiros, já que nem sempre os benefícios oferecidos são efetivamente ofertados quando mais se precisa desse tipo de assistência. Para não cair em armadilha e saber diferenciar os tipos de planos, consultamos o advogado especialista em Defesa do Consumidor, Taciano Mattos (@tacianomattos), para dar algumas dicas sobre o serviço. Confira abaixo:

Artigo

Taxas bancárias e o Direito do Consumidor

Taxas bancárias e o Direito do Consumidor

Você certamente possui conta em alguma agência bancária. Certamente, também, já deve ter sido tarifado indevidamente, mesmo pensando que o serviço oferecido era gratuito, a exemplo das taxas cobradas pela poupança. Mas, não era para poupar? Pois bem, nem sempre o que está previsto nos contratos atendem às regras previstas pelo Código de Defesa do Consumidor. O advogado, especialista na área, Cândido Sá, dá suas recomendações sobre o que a lei salvaguarda ou não, quando o assunto é serviço bancário. Confira artigo sobre o assunto, logo abaixo:

Enquete

Você pretende tomar a vacina contra a covid-19?


Ver resultado

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.