Notícia

Codecon garante segurança dos consumidores através da Operação Carnaval 2024

Codecon garante segurança dos consumidores através da Operação Carnaval 2024

Para garantir a segurança dos consumidores durante o Carnaval, a Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon), vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), está executando a Operação Carnaval 2024. Na quarta-feira (7), equipes do órgão percorreram alguns camarotes no Circuito Dodô (Barra/Ondina) com o foco de inspecionar as bilheterias, varandas comerciais e a oferta de serviços dos estabelecimentos.Os agentes da Codecon também estão atentos à validade dos produtos e insumos utilizados nos alimentos comercializados, ao armazenamento, à higiene do local, à clareza na exibição dos preços, à execução das ofertas e à acessibilidade dos estabelecimentos, entre outras normas. No ano anterior, durante a Operação Carnaval 2023, 541 estabelecimentos receberam notificações e 13 foram autuados.

Um dos locais vitoriados foi o Camarote Brahma. O assistente jurídico do espaço, Fellipe Aragão, explicou que a preparação para receber os foliões durante o Carnaval começou desde o ano passado e que a prioridade é entregar um serviço de excelência para o consumidor. “Fizemos uma análise do material disponibilizado e, a partir disso, nos organizamos para que possamos atender e conduzir da melhor forma possível dentro das normas pré-estabelecidas pela Prefeitura. Estamos nos preparando desde o ano passado e temos alta expectativa de que seja o melhor dos carnavais”, contou.

No Camarote Club, o produtor Lucas Telesforo ressaltou a importância de atender as normas exigidas, principalmente nos quesitos de acessibilidade. “Estamos seguindo as normas, sempre atentos às fiscalizações como a da Codecon. Se tiver algo que ainda não foi atendido aqui na estrutura certamente faremos a corretiva e, sobretudo, estamos dando atenção aos quesitos de acessibilidade com espaços e vias de acesso exclusivo, além das sinalizações”, explicou.

Os foliões podem denunciar qualquer irregularidade pelos canais oficiais do órgão e terão acesso à cartilha do consumidor folião, disponível gratuitamente no Balcão do Consumidor. O serviço estará instalado no posto da Semop, próximo ao Shopping Barra.

Canais – Os consumidores podem denunciar irregularidades assim que perceberem a infração, utilizando canais oficiais como o aplicativo Codecon Mobile, o Fala Salvador, no número 156, ou o site do órgão (www.codecon.salvador.ba.gov.br). Os estabelecimentos notificados têm 24 horas para se adequarem ao Código de Defesa do Consumidor, enquanto os autuados são sujeitos a vistorias frequentes para evitar novas infrações, podendo receber multas que variam de R$900 a R$9 milhões.

Informações da Agência Brasil

Dica

Planos de saúde: uma preocupação para o futuro

Planos de saúde: uma preocupação para o futuro

Ter ou não ter plano de saúde? Esse é um questionamento que pode ser constante na vida dos brasileiros, já que nem sempre os benefícios oferecidos são efetivamente ofertados quando mais se precisa desse tipo de assistência. Para não cair em armadilha e saber diferenciar os tipos de planos, consultamos o advogado especialista em Defesa do Consumidor, Taciano Mattos (@tacianomattos), para dar algumas dicas sobre o serviço. Confira abaixo:

Artigo

Taxas bancárias e o Direito do Consumidor

Taxas bancárias e o Direito do Consumidor

Você certamente possui conta em alguma agência bancária. Certamente, também, já deve ter sido tarifado indevidamente, mesmo pensando que o serviço oferecido era gratuito, a exemplo das taxas cobradas pela poupança. Mas, não era para poupar? Pois bem, nem sempre o que está previsto nos contratos atendem às regras previstas pelo Código de Defesa do Consumidor. O advogado, especialista na área, Cândido Sá, dá suas recomendações sobre o que a lei salvaguarda ou não, quando o assunto é serviço bancário. Confira artigo sobre o assunto, logo abaixo:

Enquete

Você pretende tomar a vacina contra a covid-19?


Ver resultado

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.