Notícia

Telefonia fixa apresenta redução de 94,5 mil linhas em março

Telefonia fixa apresenta redução de 94,5 mil linhas em março

A telefonia fixa apresentou uma redução de 94.503 linhas em março na comparação com fevereiro. O balanço, divulgado  pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mostra que, com a redução, o país registra um total de 40.459.554 linhas fixas em operação. Nos últimos 12 meses, a redução foi de 1.208.833 linhas.

A queda em relação a fevereiro foi puxada pelo segmento das concessionárias do serviço, que apresentou uma queda de 0,50%, fechando março com 117.241 linhas a menos. As concessionárias são as empresas que operam as redes que já existiam no Brasil antes de 1998, quando ocorreu a privatização do setor. Entre as obrigações estão a de garantir a continuidade do serviço em toda a região na qual atuam e manter em funcionamento os orelhões. Tarifas e serviços são regulados pela Anatel.

Já no segmento das autorizadas, empresas que começaram a atuar após a privatização, a comparação de março com fevereiro apontou um crescimento de 0,13%, com o acréscimo de 22.738 linhas. Essas empresas não têm a obrigação de levar o serviço a toda área geográfica, nem de manter orelhões em funcionamento. Suas tarifas não são reguladas.

Entre as empresas concecionárias, os estados do Ceará, Alagoas e Paraíba foram os que apresentaram as maiores quedas, com 1,47%; 1,22% e 1,21% linhas a menos, respectivamente. Já o estado de Rondônia foi o único a apresentar crescimento na base, de 0,62%, com 947 linhas a mais do que no mês de fevereiro.

Já no segmento das autorizadas, o crescimento foi puxado pelos estados do Piauí, Rondônia e Distrito Federal. O Piauí apresentou crescimento de 3,64%, fechando março com 55.902 linhas; Rondônia com 3,28% e 19.441 linhas em março. Em terceiro lugar, o Distrito Federal apresentou crescimento de 2,67%, terminando março com 648.436 linhas.

Entrevista

Uma nova forma de consumir

Uma nova forma de consumir

O consumo colaborativo pode mudar o sistema de produção e economia globais? Para a pesquisadora Ana Cirne Paes de Barros, o mais provável é que as práticas hegemônicas continuem a existir, mas novas formas de consumo se espalhem de forma independente, proporcionando maior autonomia aos consumidores. 

Artigo

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

No Natal de 2016 os baianos receberam um belo presente da concessionária Via Bahia, que administra rodovias federais no estado: o aumento do pedágio em 21,6% na BR-116 e 16% na BR-324. Os reajustes foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.



Enquete

Você é a favor da legalização dos jogos de azar?


Ver resultado

Se ligue

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Chuveiro na posição "inverno" consome 30% mais. Banhos mais curtos ajudam a economizar até 40%. Geladeira em má condição consome até 70% da conta do mês. Em casa ou no escritório, tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente televisão, aparelhos de DVD/Blue-Ray e de som.