Notícia

Bahia comemora liderança nacional na geração de energia solar com 30,7%

Bahia comemora liderança nacional na geração de energia solar com 30,7%

No Dia do Sol, comemorado ontem (03), a Bahia celebra a liderança na geração de energia solar no país, responsável por 30,78%, de acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), analisados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). Há quase cinco anos, as primeiras usinas solares fotovoltaicas de geração centralizada começaram a operar no estado, e, há três anos seguidos, a Bahia é líder nacional na geração da fonte. Já são 41 parques em operação no mercado livre e regulado, com 1,3 Gigawatts (GW) de potência instalada. Foram investidos R$ 6 bilhões e gerados mais de 40 mil empregos na construção dos empreendimentos em toda a cadeia produtiva.

“Dentro da SDE, temos uma coordenação que acompanha de perto o segmento. De acordo com estudos técnicos, a Bahia saiu do zero em 2014 e teve um rápido crescimento na geração de energia solar, ganhando espaço como um participante expressivo e estratégico para o setor. Mais R$ 25 bilhões estão previstos para serem investidos no estado, nos 139 parques que estão em construção e com construção prevista. A estimativa é que sejam gerados mais de 163 mil empregos na fase de construção em toda a cadeia produtiva, com potência instalada de 5,4 GW”, afirmou o novo titular da pasta, José Nunes.

Oito municípios baianos são beneficiados com as usinas solares em operação, especialmente na região semiárida do estado, onde se concentram os melhores índices de irradiação solar, proporcionando a interiorização do desenvolvimento. As três cidades com mais projetos ficam no Oeste baiano, sendo eles: Tabocas do Brejo Velho, com 10 projetos (273 megawatts); Bom Jesus da Lapa com oito projetos (214 MW); e Oliveira dos Brejinhos, com oito projetos (415 MW).

Geração distribuída

O potencial solar da Bahia não cresce apenas na geração centralizada. Também vem despontando a geração distribuída, microgeração, até 75 Kilowatt (kW) e minigeração, até 5 MW, em que os painéis são instalados em residências e prédios comerciais. Somente na área residencial, o potencial de geração distribuída é 4,4 vezes maior que o consumo existente de energia elétrica residencial, conforme dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Na Bahia, até o final de 2021, segundo os dados disponibilizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), existem aproximadamente 31,7 mil empreendimentos de micro e minigeração distribuída em 411 municípios, totalizando 306 MW de potência instalada e mais de 34 mil unidades consumidoras que recebem os créditos de energia.

 

Dica

ATENÇÃO - Golpe do WhatsApp: o que fazer?

ATENÇÃO - Golpe do WhatsApp: o que fazer?

Entenda como essa armadilha funciona e saiba também como se prevenir.

Artigo

A volta às aulas pós-pandemia

A volta às aulas pós-pandemia

Especialista alerta para os cuidados dos pais no retorno das crianças ao ambiente escolar

Enquete

Você pretende tomar a vacina contra a covid-19?


Ver resultado

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.