Notícia

Consumidores chineses são incentivados a gastar

Consumidores chineses são incentivados a gastar

Lojas de eletrônicos, cadeias de café e até autoridades locais da China estão reduzindo os preços e distribuindo milhões de dólares em cupons de desconto, para reativar uma economia afetada pelas restrições de movimento no combate ao coronavírus. A GOME Retail Holdings Ltd e a Suning.com Co Ltd planejam distribuir mais de 620 milhões de iuanes (US$ 88 milhões) em vouchers, enquanto a Alipay, do Alibaba Group Holding Ltd's, dará 10 milhões de códigos de descontos para 10 mil varejistas em seu aplicativo. A JD.com Inc disse que a partir de hoje (26) distribuirá 1,5 bilhão de iuanes (US$ 212 milhões) em cupons para produtos em várias categorias, como eletrônicos.

Até a autoridade ferroviária está reduzindo, a partir de hoje, os preços dos bilhetes em até 45%, enquanto governos locais, como os das províncias de Hebei, Zhejiang e Guangxi, estão oferecendo cupons para atrações turísticas, cinemas e lojas.

"Lançamos algumas ofertas com descontos para consumidores nos últimos dias, na esperança de ajudá-los a voltar à vida normal", disse uma porta-voz da rede Pacific Coffee, referindo-se a um acordo de café e pão com preço tão baixo quanto 20 iuans (US$ 2,83).

As promoções refletem a preocupação de que o surto tenha diminuído o apetite do consumidor e possa ter um impacto persistente, mesmo com a queda do número de novos casos transmitidos localmente.

As vendas no varejo, na segunda maior economia do mundo, encolheram em um quinto em janeiro-fevereiro,em relação ao mesmo período do ano anterior, mostraram dados do governo. Durante esse período, a China começou a tomar medidas drásticas para conter a propagação do vírus, fechando os transportes e pedindo a milhões de pessoas para ficarem em casa.

O governo afrouxou as restrições nas últimas semanas, o que está incentivando os consumidores a se aventurarem novamente em shoppings e restaurantes, apesar de preocupações com a segurança no emprego e possíveis cortes salariais provocados por uma economia em dificuldades.

*Agência britânica de notícias

Informações da Agência Brasil

Entrevista

Uma nova forma de consumir

Uma nova forma de consumir

O consumo colaborativo pode mudar o sistema de produção e economia globais? Para a pesquisadora Ana Cirne Paes de Barros, o mais provável é que as práticas hegemônicas continuem a existir, mas novas formas de consumo se espalhem de forma independente, proporcionando maior autonomia aos consumidores. 

Artigo

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

No Natal de 2016 os baianos receberam um belo presente da concessionária Via Bahia, que administra rodovias federais no estado: o aumento do pedágio em 21,6% na BR-116 e 16% na BR-324. Os reajustes foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.



Enquete

Você é a favor da legalização dos jogos de azar?


Ver resultado

Se ligue

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Chuveiro na posição "inverno" consome 30% mais. Banhos mais curtos ajudam a economizar até 40%. Geladeira em má condição consome até 70% da conta do mês. Em casa ou no escritório, tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente televisão, aparelhos de DVD/Blue-Ray e de som.