Notícia

Futuros médicos atendem população gratuitamente através do Disque Coronavírus 155

Futuros médicos atendem população gratuitamente através do Disque Coronavírus 155

 

Prestar orientação e esclarecimentos à população, com rapidez e agilidade, durante à pandemia do novo coronavírus. Esse é o objetivo do Disque Coronavírus, serviço a ser lançado amanhã (24), pelo Governo do Estado, em parceria com UFBA e Fiocruz Bahia, que faz parte do Plano de Ação de Enfrentamento ao Covid-19. Estudantes do quinto e sexto ano de medicina, supervisionados por médicos, poderão ser contatados, gratuitamente, pelo número 155, de forma a auxiliar a população, evitando a circulação de pessoas que não precisam de atendimento em unidades de saúde, neste primeiro momento.
Médica por formação, a secretária da Secti, Adélia Pinheiro, que faz parte do grupo de trabalho do Governo da Bahia no enfrentamento ao Covid-19, revela que já são mais de 1200 estudantes voluntariados para esta ação

 “Cada grupo de dez estudantes tem a supervisão de um médico residente ou não residente, todos voluntários, que aderiram por inscrição. No momento, temos, aproximadamente, 1200 estudantes e 70 médicos. Durante os trabalhos de planejamento, contamos com a participação de um conselheiro do Cremeb para acompanhar e opinar sobre as questões atinentes ao exercício profissional”, disse.

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, explica o funcionamento do serviço. “A população liga para o número 155, que foi disponibilizado após solicitação ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Quem ligar para o serviço, é atendido por um estudante de medicina devidamente capacitado, que escuta a demanda e faz a orientação, de acordo com o protocolo oficial adotado pela Sesab e Ministério da Saúde. Ao receber essa ligação, o estudante alimenta uma plataforma e esse dado é utilizado para os registros na área de saúde para auxiliar na gestão e na assistência à saúde”.

O Disque Coronavírus é um serviço gratuito, idealizado pela Fiocruz e UFBA, recebeu apoio do Governo do Estado, através das Secretarias de Saúde (Sesab), de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), do Planejamento (Seplan) e da Infraestrutura (Seinfra). Também aderiram à ação as quatro universidades estaduais (Uneb, Uesc, Uefs e Uesb), a Escola Bahiana de Medicina, a FTC Salvador e a UFRB. Os estudantes das instituições citadas, bem como os médicos supervisores, serão certificados pelo serviço. Aqueles que possuam interesse em se voluntariar, devem procurar as coordenações das respectivas universidades parceiras nesta ação.

A diretora da Fiocruz Bahia, Marilda Gonçalves, destacou que este serviço será de grande importância para a população da Bahia e integra um conjunto de ações da instituição, no enfretamento à pandemia do novo coronavírus em todo o Brasil. “ O Disque Coronavírus será um canal relevante e sério de atendimento, representando uma das contribuições que Fiocruz Bahia irá realizar em meio essa crise. Capacitando os estudantes, iremos criar recursos humanos em saúde que auxiliem o sistema no tratamento contra essa nova doença, o que reduz a sobrecarga às unidades básicas de saúde”, avalia.

A pesquisadora da Fiocruz Bahia e integrante da equipe de formulação da proposta, Viviane Boaventura, explica que os estudantes “receberão um treinamento por videoaula e, antes de iniciar as atividades, responderão a um pequeno teste objetivo para avaliar a compreensão das instruções de triagem. A partir desse treinamento ,estarão aptos a iniciar as atividades. Todo o processo, desde o treinamento até o atendimento, será feito remotamente de forma a garantir a segurança física dos estudantes”, declarou sobre a capacitação que será em conjunto com especialistas da Fiocruz Bahia e da UFBA.

A pesquisadora ressalta ainda que o canal é uma forma de impedir a circulação de pessoas contaminadas pelo SARS-CoV-2.  “A ideia é evitar que menos pessoas com sintomas leves circulem pela cidade e, portanto, que acabe aumentando a disseminação do vírus na população”, explicou Viviane.

Entrevista

Uma nova forma de consumir

Uma nova forma de consumir

O consumo colaborativo pode mudar o sistema de produção e economia globais? Para a pesquisadora Ana Cirne Paes de Barros, o mais provável é que as práticas hegemônicas continuem a existir, mas novas formas de consumo se espalhem de forma independente, proporcionando maior autonomia aos consumidores. 

Artigo

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

No Natal de 2016 os baianos receberam um belo presente da concessionária Via Bahia, que administra rodovias federais no estado: o aumento do pedágio em 21,6% na BR-116 e 16% na BR-324. Os reajustes foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.



Enquete

Você é a favor da legalização dos jogos de azar?


Ver resultado

Se ligue

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Chuveiro na posição "inverno" consome 30% mais. Banhos mais curtos ajudam a economizar até 40%. Geladeira em má condição consome até 70% da conta do mês. Em casa ou no escritório, tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente televisão, aparelhos de DVD/Blue-Ray e de som.