Artigos

Quatro motivos para respeitar o ciclista

Por Clara Corrêa

 

Amigo motorista, senta aí que essa conversa é com você.

 

Entra ano e sai ano e as notícias de ciclistas morrendo no trânsito continuam. Eu sei, tem muito ciclista maluco por aí, mas na grande maioria dos casos a culpa é sua, motorista. É você que “tira fino” da bicicleta, que reclama por ele estar “onde não deve”, que acha um absurdo esse povo atrapalhando o trânsito com suas bicicletas e quer mais é passar por cima mesmo.

 

Tudo isso é muito triste, é trágico, é desanimador. E não apenas para as famílias e os amigos dos ciclistas que se foram por conta de motoristas-mostros, mas também para os que continuam aqui, nessa batalha diária para conquistar só um pouco de respeito.


1 – O ciclista quase não ocupa espaço



transito


Você vive reclamando dos congestionamentos, mas repare nos carros, ônibus, motos e bicicletas que obstruem cada metro precioso das vias. Quem ocupa mais? Dá uma olhada na foto aí em cima, que mostra o espaço ocupado por carros, ônibus e bikes para levar a mesma quantidade de pessoas.

Sacou? Por que então brigar com quem, na verdade, está ajudando a diminuir o problema?



2 – O ciclista não polui, nem faz barulho


bike


Poucas coisas são tão estressantes quanto o trânsito. Além dos congestionamentos e da perda de tempo, tem a poluição, o barulho e todo aquele ambiente que beira o caos. Aí surge um ciclista do seu lado e você fica com mais raiva ainda. Mas perceba que, de toda aquela loucura, ele é quem menos contribui pra esse clima. Ele não faz o barulho das motos, não emite a fumaça preta dos caminhões, passa quietinho e vai embora.


Deixa ele ir.

 

3 – Ele é um sinal de evolução


bike2



Uma cidade com muitas bicicletas nas ruas é uma cidade evoluída. Prova que ali existem pessoas inteligentes, que perceberam a importância de cuidar da mobilidade urbana de uma forma mais ampla e sabem que a bicicleta é parte fundamental disso. Já que a gente gosta tanto de imitar os gringos, basta olhar para as capitais da Europa, Nova York e até a nossa hermana Buenos Aires para ver que todas estão investindo na ideia.


É trending, é cool, e você quer isso para sua cidade, correto?

 

4 – Ele está contribuindo para um futuro melhor


bike3


Daqui a alguns anos, nossos filhos estarão vivendo em cidades mais organizadas, limpas, educadas e conscientes. E muito disso será por conta da luta diária que esses heróis de bike enfrentam todos os dias. Todo mundo quer viver em um mundo melhor, mas pouca gente está disposta a arregaçar as mangas e sair da zona do conforto para fazer acontecer. Pois essas pessoas não. Ao exporem suas vidas em nome daquilo que acreditam ser o melhor, elas forçam os outros a pensarem no assunto, colocam o tema na capa dos jornais e na mesa de debate das políticas públicas.



É isso que transforma o mundo.



Os ciclistas merecem não apenas o respeito constitucional, aquele de passar a 1,5m de distância de suas bikes, mas o nosso respeito como seres humanos, que sabem da importância da sua presença ali no trânsito e cuidam para que eles se multipliquem e ocupem cada dia mais um espaço que é de todos.

 

 



 

 

 

 

 

 

 

Clara Corrêa é jornalista, baiana, louca por cachorros e viciada em café. Tenta levar uma vida mais leve, sem perder o borogodó!

 

Texto originalmente publicado no blog Simplificando

 

Entrevista

Uma nova forma de consumir

Uma nova forma de consumir

O consumo colaborativo pode mudar o sistema de produção e economia globais? Para a pesquisadora Ana Cirne Paes de Barros, o mais provável é que as práticas hegemônicas continuem a existir, mas novas formas de consumo se espalhem de forma independente, proporcionando maior autonomia aos consumidores. 

Artigo

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

Pedágio da Via Bahia: 21,6% de aumento, 100% de desrespeito

No Natal de 2016 os baianos receberam um belo presente da concessionária Via Bahia, que administra rodovias federais no estado: o aumento do pedágio em 21,6% na BR-116 e 16% na BR-324. Os reajustes foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vídeos

Rachel Botsman

Autora do livro "O Que é Meu é Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", Rachel Botsman diz que estamos conectados para compartilhar. Em 15 minutos, ela tenta te convencer que o consumo colaborativo é o caminho.



Enquete

Você é a favor da legalização dos jogos de azar?


Ver resultado

Se ligue

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Sua conta veio alta? Confira o que pode vampirizar sua energia

Chuveiro na posição "inverno" consome 30% mais. Banhos mais curtos ajudam a economizar até 40%. Geladeira em má condição consome até 70% da conta do mês. Em casa ou no escritório, tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente televisão, aparelhos de DVD/Blue-Ray e de som.